terça-feira, 17 de março de 2009

A EXPORTAÇÃO DO MINÉRIO DE FERRO AMAPAENSE EVIDENCIA O MUNICÍPIO DE PEDRA BRANCA DO AMAPARÍ NO CENÁRIO NACIONAL


O estado do Amapá apresentou o maior índice de crescimento de todo o País em fevereiro deste ano, ou seja, uma variação positiva de 484,6% no comparativo com o mês de fevereiro de 2008, com a marca de US$ 22,8 milhões. Ainda no norte, o Pará, primeira colocação no ranking regional, teve queda de 3,8%, na mesma comparação, com vendas internacionais em US$ 631,6 milhões.

Uma comparação entre Pará e Amapá parece desleal, visto suas principais diferenças nas dimensões territoriais e na inserção da malha de infraestrutura física paraense com as demais conexões nacionais, dando ao nosso “pai-irmão” um status diferenciado do nosso no cenário econômico nacional.
Mas as comparações relativas à movimentação interna de cada Estado podem ser feitas, considerando as atividades diferenciadas de cada Estado, mas também considerando os resultados no cenário endógeno (interior) a cada unidade. Aí teremos uma larga vantagem ao alisarmos os números da economia, principalmente no comércio exterior, no mês de fevereiro deste ano.

Mudanças no ranking estadual

Um crescimento de 23,7% em relação a janeiro deste ano e 484,6% em relação a fevereiro do no passado, mostra que as exportações amapaenses conferem um amplo crescimento nas exportações locais.

Com mais de US$ 22,8 milhões vendidos no mês passado, o Amapá mostra que a recessão ainda não atingiu o comércio exterior dos lados daqui do país. O principal produto exportado, quebrando a tendência evidente do ano passado, foi o minério de ferro, com uma participação de 38,24% do total exportado, ou seja, US$ 15.819.860,00 somente em fevereiro.

Houve uma superação nas exportações do produto, que deixou a expansão das vendas do ouro para trás, com uma participação de 36,11% das vendas amapaenses para o exterior, com seus US$ 14.938.384,00. Não significa a queda nas exportações do ouro foi de fundamental importância para a o fato na mudança no ranking dos principais produtos exportados.

A questão principal foi o crescimento nas exportações de ferro, passando de US$ 4.676.399,00 para os extraordinários US$ 11.143.461,00, um crescimento de mais de 102% nas vendas do produto amapaense, passando de uma participação de 25,24% na pauta das exportações do Amapá em janeiro deste ano para os 38,24% no mês passado, considerando o acumulado do ano.


Produtos e empresas

As principais empresas exportadoras foram as mineradoras que, somadas e considerando o acumulado do ano, representam 74,35% de todas as exportações de nosso estado. Ainda, outra empresa relevante nas exportações explora o potencial vegetal e climático do Amapá, com vendas de madeira e participação em mais de 12% do valor exportado pelo Estado.

A ANGLO FERROUS AMAPA MINERACAO LTDA lidera o ranking de principais empresas exportadoras no Amapá. Foram mais de US$ 15,8 milhões exportados até o mês de fevereiro deste ano, segundo dados oficiais da Secretaria de Comercio Exterior. O principal produto exportado pela empresa são os minérios de ferro, em evidente expansão no cenário mundial com a atual abertura do mercado chinês e incentivos à construção civil pelas economias protecionistas dos países ricos, acabando por “financiar” a indústria no centro o Amapá.

Outra empresa “gigante” nas exportações é a MINERACAO PEDRA BRANCA DO AMAPARI LTDA, que vendeu mais de US$ 14,9 milhões ate o mês passado. A extração de ouro rendeu a participação de 36,11% na pauta de exportações do Amapá. A atividade de todo o ano passado mostra a regularidade nas exportações da empresa que, respeitadas as sazonalidades do mercado, atua de forma equilibrada nas vendas.

A AMCEL - AMAPA FLORESTAL E CELULOSE LTDA, única empresa que não exporta minérios entre as quatro maiores exportadoras, também figura entre as principais empresas com maiores vendas para fora do Brasil. Foram US$ 5.350.789,00 até mês passado, representando, no ano, cerca de 12% de todo o volume exportado através do Amapá.

A quarta colocada, mas não a última, é a MINERACAO VILA NOVA LTDA, exportando US$ 3.840.995,00 neste ano, até fevereiro, ou seja, 9,28% das exportações pelo Amapá. O principal produto exportado pela empresa são minérios metálicos de cromo, utilizado para a confecção da liga do aço, também sob influência direta da commodity ferrosa.


Mudanças no ranking nacional

No primeiro mês deste ano, o município de Pedra Branca do Amapari ocupava a posição de numero 67 no ranking dos saldos municipais em comércio exterior de todo o Brasil, com seus US$ 14.226.820,00 positivos na diferença entre exportação (US$ 14.226.820,00) e importação (US$ 0,00), sendo que nada havia sido importado até o fechamento de janeiro.

Com os resultados de fevereiro, o município subiu duas posições, passando a ocupar a vaga 65 do mesmo ranking, com saldo positivo de US$ 30.293.631,00, facilitado pelo movimento diverso do comércio exterior pelo território brasileiro.

Outra ponderação importante é a alteração no ranking das exportações municiais, tendo Pedra Branca passado da posição 132 para a vaga de número 120, mostrando que a mudança não era passageira, mas evidenciava a efetividade da exploração mineral no Amapá, uma vez que os demais municípios amapaenses ocupam classificação bem abaixo do observado com o município central.



Para as importações

No encerramento do mês, a Região Norte apresentou queda das importações de 27,5%, no comparativo com fevereiro do ano passado. Porém, dos sete estados integrantes do Norte brasileiro, apenas dois tiveram desempenhos negativos: Amazonas (-35%) e Roraima (-83%). Os demais estados nortistas obtiveram índices positivos sobre as importações de fevereiro de 2008.
O Amapá importou mais bens de capital geradores de eletricidade. Fato também observado no inicio do ano passado, quando as mineradoras ou subsidiárias se preparavam para as atividades de todo o ano.

No final de 2008, com o impacto direto dos efeitos da crise nos mercados financeiros de futuros das indústrias minerais, a retração foi sentida e a exploração diminui o ritmo, mas não deixou de crescer. O movimento atual mostra a postura das empresas para continuar a rotina de expansão, passado o susto da marolinha que transformou em tsunami, as principais empresas exportadoras aquecem os motores e importam bens de capital para aumentar sua produtividade.Foram mais de US$ 4.255.650,00 importados entre grupos/eletrogrupos para motor à diesel P>375kva (39,78%), esferas forjadas/estampadas de ferro/aço (10,92%), água-de-colônia (8,45) e câmeras de vídeo de imagens fixas (4,55). Então, fica observado o peso das importações de bens de capital voltados para a geração de eletricidade.

3 comentários:

  1. Respostas
    1. Grato pelo elogio... Em breve esses números serão atualizados!

      Excluir
  2. escreva mais sobre as exportações do Amapá

    ResponderExcluir

Para uma Amapa melhor.... comente!

COMENTE

Colabore com a construção e multiplicação do conhecimento em terras Tucujus através desta página. Comente, contribua ou critique as postagens.